vitalves.com

Textos e contextos!
Versão Feminina

Sem rumo - Clarice Nava

Sem rumo - Clarice Nava Sem rumo
nesta noite fria
sem saber para onde ir,
o que fazer, com quem falar...
numa contí­nua desmotivação
sigo a viagem
embora tudo pareça em vão.
Correndo o risco de não chegar,
correndo o risco de perder
correndo o risco de chorar...
Continuo
sem que nada faça sentido
sem ter o que gosto,
sem realização pessoal e profissional...
Sem rumo, continuo... 
À espera que uma luz se acenda no meio deste apagão
tento aguentar
porque no fundo quero acreditar
que um dia tudo pode mudar
Quero o amanhã
sem a neblina que cobre o céu,
quero o amanhã£
sem esta sensação interna de vazio
sem estas palavras tristes que hoje escrevo.
Sem rumo, continuo...
procurando algo que alivie
esta sensação estranha
que hoje sinto,
algo que me faça escrever coisas bonitas,
poemas com cor,
que não£o falem de dor,
mas que falem de bem querer,
de bem estar,
de carinho,
de paz e de amor.
Sem rumo
continuo
com vontade de ultrapassar limites
de quebrar barreiras
de contestar obstáculos.
Procuro o brilho raro dos que amam...
do casal apaixonado que passeia de mão dada
ou de braço dado,
ou ...da cumplicidade da troca de olhares entre uma mãe£e e um filho
ou ainda o brilho da gratidão da verdadeira amizade.
Sem rumo
continuo a vaguear na noite 
À procura daquele lugar especial
onde as pessoas se abraçam, se ouvem,
se aplaudem,
compartilham sentimentos, emoções,
angustias e prazeres, destilados,
em forma de poesia!

( Clarice Nava )

Mais lidos