vitalves.com

Textos e contextos!
Versão Feminina

Oração Carioca – Helena Ferraz

Oração Carioca Pai nosso, tenha piedade
Da nossa bela cidade
Que já foi maravilhosa,
E agora, pobre coitada!
Vive suja e maltratada
E muito pouco cheirosa.

Qualquer ponto onde se saia,
É pequena sapucaia,
Construída com capricho.
Qualquer terreno baldio
Que se preze, aqui no Rio,
É depósito de lixo.

Veja, Senhor, nossa mágoa:
Nas bicas, não temos água.
Mas se do céu a água cai,
A enchente a cidade arrasa:
Não se volta para casa,
Ou de casa não se sai!

Os ônibus andam cheios.
Não têm lugar, não têm freios
Que não fazem falta, não.
Ninguém morre antes da hora
E quem vai morrer agora
Já tomou seu lotação...

Temos as praias mais belas
Com esgotos dentro delas,
Largando um cheiro tremendo.
E os morros mais verdejantes
Com seus pobres habitantes
Fingindo que estão vivendo.

Em milagres já não cremos.
Impossíveis não queremos,
Nem fantasias também.
Dê-nos, Senhor, quase nada:
Carne barata, morada
E o pão nosso em dia. Amém.

( Helena Ferraz )


Obs.: Helena Ferraz escrevia com o pseudônimo de "Álvaro Armando". Sua natureza satírica lhe impôs essa necessidade e ela escolheu um masculino, que mais justificaria a agressividade, composto com os nomes de seus filhos.

Mais lidos